Arquivo da tag: AsBEA

Template de layers (CAD) para arquitetura – padrão AsBEA

Em 2014 eu publiquei pela primeira vez aqui no Arquilog um Template de Layers para Projetos de Arquitetura usando o padrão do AsBEA. Na imagem abaixo você pode ver uma parte da tabela de layers do Template na época.

artigo-template-cad
Tabela de layers do Template para Projetos de Arquitetura – padrão AsBEA

Você conhece o Manual de Diretrizes Gerais para Intercambialidade de Projetos em CAD do AsBEA?

Entre outras propostas de padronizações para projetos, o AsBEA apresenta no manual, um sistema de nomenclatura de layers usando campos, que adaptou da ISO 13567.

Ele propõe que os nomes das layers sejam escritas em campos, como abaixo:

AGE-OEA-QDI-ARG-EEL-ESC-DUS

onde cada campo corresponde a uma informação referente a layer:
AGE – agente
OEA – Objeto / Elemento / Assunto
QDI – Qualificativo / Diferenciação
ARG – Anotações e representação Gráfica
EEL – Estado do elemento
ESC – Escala (campo livre)
DUS – Definição do usuário (campo livre)

Exemplos de preenchimentos para o campo AGE:
ARQ – Arquitetura | APS – Paisagismo

Exemplos de preenchimentos para o campo OEA:
ALV – Alvenaria | MOB – Mobiliário

Exemplos de preenchimentos para o campo QDI:
ALT – alta | BXA – baixa

Exemplos de layers usando os campos do AsBEA:
Layer de alvenaria alta: ARQ-ALV-ALT
Layer de divisória baixa: ARQ-DIV-BXA

Segundo o manual, quando não há item em determinado campo e há um item posterior, para manter-se o alinhamento dos campos, este deverá ser preenchido com -___- (três traços sublinhados), além dos hífens do campo.

Ainda de acordo com o manual, se uma disciplina necessitar utilizar um layer de outra disciplina, deverá usar a nomenclatura definida para a segunda disciplina. Ex: Se a arquitetura necessitar de um layer para pilar, deverá utilizar a nomenclatura definida na estrutura.

Sobre o Template de Layers e Anotações para Projetos de Arquitetura para AutoCAD do Arquilog

Durante muito tempo o Template de Arquitetura do Arquilog seguiu o manual do AsBEA a risca. Porém, na última revisão do Template fiz pequenas alterações para diminuir o número de campos utilizados nos nome das layers, facilitando assim sua leitura no AutoCAD.

Com isso, adotei apenas 4 campos, assim:
AGE-OEA-QAN-DUS

onde:
AGE – agente
OEA – Objeto / Elemento / Assunto
QAN – Qualificação do elemento da layer ou Anotações e representação Gráfica
DUS – Definição do usuário (campo livre)

Alguns exemplos de layers no Template de Layers e Anotações para Projetos de Arquitetura para AutoCAD do Arquilog:

ARQ-___-TXT-002 – Arquitetura, Textos gerais, nomes de ambientes, pena 0.2
ARQ-ALV-ALT – Arquitetura, Alvenarias altas em corte
ARQ-CON – Arquitetura, Elementos a Construir
ARQ-MOB-___-001 – Arquitetura, Mobiliários, pena 0.1
EIL-LUM – Elétrica, Iluminação, Luminárias

Os nomes das layers ficaram mais curtos facilitando a leitura e a rápida identificação.

O Template de Layers e Anotações para Projetos de Arquitetura está a venda na loja do Arquilog! Se quiser conhecê-lo, clique na imagem abaixo. Além das layers para o projeto de arquitetura você encontrará estilos de textos, cotas, leaders e tabelas para as escalas 1/1, 1/2, 1/2.5, 1/5, 1/10, 1/20, 1/25, 1/50, 1/75 e 1/100, uma cartela com 33 blocos dinâmicos para um pequeno projeto de arquitetura residencial, um bloco dinâmico de prancha com carimbo e muito mais!

Veja também o Tutorial do Template de Layers e Anotações para Projetos de Arquitetura do ARQUILOG.

Você pode acessar o Manual de Diretrizes Gerais para Intercambialidade de Projetos em CAD no site do AsBEA clicando aqui.

Publicado originalmente em 02 de abril de 2014.

Manual de Diretrizes Gerais para Intercambialidade de Projetos em CAD do AsBEA

O Manual de Diretrizes Gerais para Intercambialidade de Projetos em CAD do AsBEA estabelece uma padronização para nomes de layers, diretórios e nomes de arquivos para projetos em CAD, baseada nos modelos de normas Americanas / Canadenses (AIA, CSI, NBSI) e Européias (ISO).

Apesar de ter sido elaborado em 2002, o manual ainda fornece uma boa referência para a padronização e integração entre os desenhos em CAD, agilizando e aumentando a confiabilidade do processo de troca de informação entre escritórios de projetos

O Manual de Intercambialidade de Projetos em CAD pode ser baixado gratuitamente no site da AsBEA aqui.

Aqui no Arquilog você encontra dois templates de layers de arquitetura para programas CAD, sendo um deles baseado no Manual de Diretrizes Gerais para Intercambialidade de Projetos em CAD do AsBEA. Conheça-os aqui.

Guia de Sustentabilidade da AsBEA

O grupo de Trabalho de Sustentabilidade da AsBEA disponibiliza para download, o Guia Sustentabilidade na Arquitetura – Diretrizes de escopo para projetistas e contratantes.

O objetivo do  GUIA é alinhar, entre contratante e contratado, os principais tópicos que deverão ser abordados no desenvolvimento do projeto, desde o levantamento das condições locais e do entorno do terreno, até os parâmetros de conforto, manutenção, durabilidade dos componentes e vida útil da edificação.

Baixe o guia em https://www.dropbox.com/s/9exm2xs9n23minb/AF5_asbea_sustentabilidade_web.pdf

Guia BIM da AsBEA

O grupo de trabalho BIM da AsBEA acaba de lançar o primeiro fascículo do Guia BIM com instruções sobre o uso de ferramentas digitais nos projetos de arquitetura e toda a cadeia produtiva da construção civil. Este primeiro fascículo aborda as fases conceituais e iniciais de implantação do BIM nos escritórios de arquitetura e os demais serão lançados nos próximos meses, abordando outros aspectos da arquitetura digital.

Segundo a AsBEA, o objetivo da publicação é proporcionar aos profissionais um manual de caráter didático, que facilite a utilização da ferramenta essencial na elaboração de projetos e acompanhamento de todas as etapas de sua execução.

Baixe o manual e veja a matéria no site da AsBEA: http://www.asbea.org.br/escritorios-arquitetura/noticias/acesse-o-guia-bim-pelo-site-da-asbea-301753-1.asp

AsBEA permite download gratuito do Manual de Diretrizes Gerais para Intercambialidade de Projetos em CAD

A AsBEA, desenvolveu um manual que estabelece uma padronização de layers, diretórios, arquivos, além da definição de responsabilidades entre todas as atividades de projetos, calcado nos modelos de normas Americanas / Canadenses (AIA, CSI, NBSI) e Européias (ISO), tendo como objetivo a médio prazo transformá-los em normas aprovadas na ABNT.

Essa padronização permite uma melhor integração entre escritórios de projetos, agilizando e aumentando a confiabilidade do processo de troca de informação.

O Manual de Intercambialidade de Projetos em CAD agora pode ser baixado gratuitamente no site da AsBEA aqui.

Workshop realizado pelo Grupo de Normas Técnicas da AsBEA

O AsBEA disponibilizou em sua página o arquivo da apresentação do Workshop realizado pelo seu Grupo de Normas Técnicas, que dá uma visão geral da Norma de Desempenho, e os principais aspectos da norma que envolvem, entre outros, o desenvolvimento dos projetos de Arquitetura, coordenação de projetos e responsabilidade social dos Arquitetos.

Para ver a notícia: http://www.asbea.org.br/escritorios-arquitetura/noticias/mais-uma-vez-o-workshop-realizado-pelo-grupo-de-normas-298462-1.asp

Para baixar o pdf: http://www.asbea.org.br/cApp/programas/download.asp?aid=298462&fid=343

CAU/RJ e a AsBEA-RJ propõem Seminário

Arquilog - Rio de Janeiro

O CAU/RJ e a AsBEA-RJ resolveram trazer o tema “A burocracia nos trâmites de aprovação de projetos” para debate através de um Seminário no Rio de Janeiro que será realizado em agosto (ainda sem data definida). O objetivo é permitir que os arquitetos urbanistas e empresários fluminenses possam conhecer as iniciativas paulistas relacionadas à Simplificação da Legislação Urbanístico-Edilícia, com foco na desoneração do Projeto Legal de Arquitetura.

Serão convidados a participar, gestores públicos da área de licenciamento urbanístico-edilício, ambiental e de patrimônio histórico e cultural das prefeituras, da capital e das cidades médias do Estado do Rio de Janeiro.

Diminuir esse distanciamento entre o setor público e o privado, agilizar processos, valorizar a atuação e a responsabilidade dos profissionais e trabalhar pelo ganho de produtividade são as discussões que serão propostas.

Leia completo em http://www.caurj.org.br/?p=7258