Sustentabilidade
Sustentabilidade

Contribuições das Certificações Ambientais à AGENDA 2030 – artigo que escrevi para o Blog do GBC Brasil

As conferências da ONU sobre as questões ambientais, produziram durante as últimas décadas, documentos importantes com orientações e recomendações a serem seguidas pelas organizações dos países-membros, em todas as áreas onde os impactos humanos prejudicam o meio ambiente. Documentos como Nosso futuro comum (1987), Agenda 21 (1992), Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (2002) e O futuro que queremos (2012) apresentavam uma agenda global de mudanças para o desenvolvimento sustentável, como uma forma de diminuir a destruição de recursos naturais insubstituíveis e a poluição do planeta.

Mais recentemente, em 2015, o Fórum Político de Alto Nível sobre desenvolvimento Sustentável da ONU elaborou o documento Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Nesse artigo que escrevi para o Blog do GBC Brasil, exploro o quanto as certificações ambientais de edificações, podem contribuir com os objetivos da agenda.

Matéria no Jornal Nacional :: Brasil no ranking de construções sustentáveis

Assista a matéria no Jornal Nacional falando sobre 2 exemplos de implementações de estratégias sustentáveis em pequenas edificações.

Lâmpadas Retrô de Filamentos Incandescentes não são retrô só no estilo

Você já ouviu falar dessa tendência em iluminação: Lâmpadas Retrô de Filamentos?

As lâmpadas Retrô de filamentos chegaram no mercado há uns dois anos e ainda estão disponíveis para quem quer optar por uma iluminação decorativa e aconchegante, com uma luz suave e um toque retrô.

Elas são lindas! Mas atenção: existem as Lâmpadas Retrô de filamentos em LED e as Lâmpadas Retrô de filamentos incandescentes. Aí vem a pergunta que não quer calar: Porque estamos voltando a usar lâmpadas incandescentes? O retrô está só no nome ou estamos vivendo um retrocesso em termos de eficiência energética?

Leia mais“Lâmpadas Retrô de Filamentos Incandescentes não são retrô só no estilo”

Tarifas da Energia Elétrica no Rio de Janeiro

Não fica claro na conta da Light (a concessionária de energia elétrica aqui do Rio de Janeiro) que existem 3 faixas de tarifas para a classe residencial e que elas são determinadas de acordo com o consumo final do cliente em kWh.

A tabela abaixo mostra os valores das tarifas praticados pela Light para a classe residencial estabelecidos no dia 07/11/2016:

Consumo Valor da tarifa (por kWh)
até 50kWh R$ 0,50606 (isento de ICMS)
51 até 300kWh R$ 0,62501 (ICMS de 18%)
acima de 300kWh R$ 0,72984 (ICMS de 29%)

Leia mais“Tarifas da Energia Elétrica no Rio de Janeiro”

Eficiência e economia da Lâmpada LED em comparação com a Lâmpada Fluorescente

Existem diversas ações que podemos tomar durante o projeto e a obra de uma residência que, além diminuir os impactos ao meio ambiente, nos devolve parte do dinheiro que investimos no imóvel.

Nesse artigo vou falar sobre o retorno financeiro da adoção de lâmpadas LED ao invés das lâmpadas fluorescentes.

Para começar, busquei especificações e preços das lâmpadas na loja online da Leroy Merlin. A escolha da marca Ourolux é apenas ilustrativa e não representa de forma alguma recomendação da marca. As primeiras características a serem observadas numa lâmpada no quesito economia de energia são o consumo da lâmpada em W (Watts) e quantidade de luz emitida por ela em lm (lúmens). Veja a tabela abaixo com os dados das duas lâmpadas escolhidas:

Leia mais“Eficiência e economia da Lâmpada LED em comparação com a Lâmpada Fluorescente”

1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios

Começa hoje o ​1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios, congresso online e gratuito que tem como objetivo elevar a eficiência das etapas de projeto e construção, desde os estudos iniciais de viabilidade até a conclusão dos Edifícios.

Serão ao todo 27 palestras oferecidas por profissionais renomados, tanto nacionais, quanto internacionais, entre os dias 23 e 29 de fevereiro.

As palestras de hoje são:

23 fev. 11:00- Cerimônia de Abertura do CONEFEC

23 fev. 15:00- Ricardo Grassia – Como Atingir a Eficiência Projetual e Construtiva Através de Soluções Integradas de Engenharia
Gerenciamento de projetos

23 fev. 17:00- Peter Krebs (EUA) – Conquistando Sustentabilidade com Praticidade pela Computação na Nuvem
Análise energética por meio do software Sefaira

23 fev. 20:00- Fausto Sabino – Como Gerar Eficiência por meio da Produtividade no Canteiro de Obras
Produtividade no Canteiro de Obras

Inscreva-se e acompanhe as palestras através do site http://www.conefec.com.br/ e https://calendar.google.com/calendar/embed?src=conefec.com.br_e6mb8fhobh5626uq1pjrmi8b94%40group.calendar.google.com&ctz=America/Sao_Paulo

Selo Casa Azul

Nome da Certificação: Selo Casa Azul
Origem: Brasil
Certificadora: Caixa Econômica Federal
Tipos de empreendimentos: Empreendimentos Residenciais
Como obter o certificado: ​A adesão ao selo é voluntária. O primeiro passo é apresentar o projeto para análise de financiamento da Caixa, juntamente com toda a documentação e informações técnicas que comprovem o preenchimento dos requisites do selo. Após a aprovação, a Caixa informa a graduação do selo alcançada e, no ato da contratação, emite o atestado de concessão do selo. Durante a obra, a Caixa verificará o atendimento aos critérios.
Níveis de certificação: O selo Casa Azul possui 53 critérios de avaliação distribuídos em 6 categorias. Para receber o Selo Casa Azul, o empreendimento deve obedecer a 19 critérios obrigatórios e, de acordo com o número de critérios opcionais atendidos, o projeto ganha o selo nível bronze, prata ou ouro:

Bronze: atende aos 19 itens obrigatórios;
Prata: atende aos 19 itens obrigatórios, mais 6 opcionais;
Ouro: atende aos 19 itens obrigatórios, mais, pelo menos, 12 opcionais.​

Leia mais“Selo Casa Azul”

ProjetEEE

Edificações eficientes necessitam de estratégias bioclimáticas de baixo consumo energético e alto conforto térmico para o usuário. Uma ferramente criada pela UFSC, o ProjetEEE, apresenta dados climáticos e estratégias bioclimáticas mais adequadas a edificações residenciais, para mais de 400 cidades brasileiras, auxiliando a concepção do projeto arquitetônico em sua fase inicial.

A ferramenta permite:

  • identificar as características climáticas na cidade do projeto,
  • avaliar as estratégias bioclimáticas mais apropriadas à edificação,
  • projetar edificações mais eficientes,
  • obter um melhor conforto térmico interno para o usuário,
  • identificar a correta aplicação das diferentes estratégias bioclimáticas,
  • conhecer os componentes construtivos mais apropriados para sua edificação.

Para acessar a ferramente, visite www.projeteee.ufsc.br ou www.p3e.ufsc.br

Leia mais“ProjetEEE”

Primeira residência certificada LEED For Homes do Brasil

Na Expo Sustentável que aconteceu em São Paulo, em novembro desse ano, presenciei a entrega dessa primeira certificação LEED Homes do Brasil.

leed-homes

A certificação foi alcançada em uma residência em Campinas, interior do estado de São Paulo, que foi projetada pela arquiteta Teresa d’Ávila e construída por LCP Engenharia & Construções.

Leia mais“Primeira residência certificada LEED For Homes do Brasil”

LEED – Versão 4

Nome da Certificação: LEED
Origem:Estados Unidos
Certificadora: USGBC – United States Grenn Building Council
Tipos de empreendimentos: Novas construções, grandes reformas, reforma de envoltória e áreas comuns de edificações existentes, operação e manutenção de edificações existentes, escolas, lojas de varejo, hospitais, hotéis, centros de processamento de dados, armazéns, centros de distribuição, interiores comerciais, planejamento e construção de bairros, edificações residências.
Como obter o certificado: Para certificar um projeto junto ao USGBC deve-se inscrever o projeto na plataforma online da instituição (LEED online), pagar as taxas , cadastrar a equipe de projeto e iniciar o processo de envio de documentação que pode ser carregada diretamente no sistema (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015). Atentar-se para os 3 requisitos mínimos da certificação LEED: a edificação deve estar localizada permanentemente em um terreno existente, a equipe deve definir limites coerentes para o projeto e cumpri com o tamanho mínimo de projeto.
Níveis de certificação: Certificado: 40-49 pontos :: Prata: 50-59 pontos :: Ouro: 60-79 pontos :: Platina: mais de 80 pontos

Leia mais“LEED – Versão 4”

Projeto Integrado

De acordo com Jerry Yudelson em seu livro Projeto Integrado e Construções Sustentáveis a Edificação Sustentável é “aquela que considera seu impacto sobre a saúde ambiental e humana e, então, o diminui. Ela consome uma quantidade consideravelmente menor de energia e água em relação a uma edificação convencional, tem menos impactos sobre o terreno e, em geral, níveis mais altos de qualidade do ar interior. Também se preocupa em parte com os impactos de ciclo de vida dos materiais de construção, móveis e acessórios. Esses benefícios resultam de melhores práticas de desenvolvimento do terreno, opções de projeto e construção e dos efeitos acumulado da operação, manutenção, remoção e possível reciclagem dos materiais de construção e sistemas prediais”.

Não dá pra pensar em edificação sustentável sem pensar em Projeto Integrado.

Leia mais“Projeto Integrado”

Sustentabilidade na prática na Expo Arquitetura

Acaba de acontecer a Expo Arquitetura Sustentável em São Paulo. Foram 3 dias de palestras e feira expondo as novas tecnologias disponíveis para projetos e obras sustentáveis. Eu estive por lá durantes os 3 dias e voltei ainda mais apaixonada por arquitetura. É muito legal ver a quantidade de profissionais que agregaram os valores da sustentabilidade de forma definitiva em seus trabalhos. É um caminho que não tem mais volta! E é um caminho muito bonito que valoriza a natureza, as pessoas e o investimento financeiro que fazemos no projeto e na obra.

Dentre outros, um estande me chamou muita atenção por colocar em prática várias premissas sustentáveis e chamar a atenção especial para elas. O estande foi projetado pela arquiteta paisagista Daniela Sedo. Não tenho o objetivo de fazer propaganda para nenhuma empresa, vou apenas mostrar o que me chamou atenção no projeto do estande da Daniela:

Leia mais“Sustentabilidade na prática na Expo Arquitetura”

PBE Edifica

Nome da Certificação: PBE Edifica
Origem: Desenvolvida em parceria entre o Inmetro e a Eletrobras/PROCEL Edifica.
Certificadora: INMETRO
Tipos de empreendimentos: Edificações comerciais, públicas e residenciais.
Como obter o certificado: Para obter a Etiqueta PBE Edifica é necessário contatar um OIA – Organismo de Inspeção Acreditado, enviando para este uma série de documentos pertinentes ao projeto. O OIA irá realizar a inspeção do projeto a partir de análise documental e levantamento de dados in loco e conceder a ENCE (etiqueta nacional de conservação de energia) de projeto caso o projeto atenda aos requisitos específicos. A inspeção da edificação construída será executada após sua construção e antes da entrega das chaves. O OIA irá conferir se o que foi construído está de acordo com o projeto e atribuir uma classificação final à edificação e conceder a ENCE de edificação construída. No término de cada uma dessas fases o OIA envia documentos da edificação ao INMETRO.
Níveis de certificação: A, B, C, D ou E

Leia mais“PBE Edifica”

Referencial GBC Brasil Casa®

Nome da Certificação: Referencial GBC Brasil Casa®
Origem: Brasil – adaptada do LEED americano
Certificadora: GBC Brasil
Tipos de empreendimentos: Residências em construção
Como obter o certificado: No início do desenvolvimento dos projeto, a equipe deverá identificar os créditos que serão buscados na certificação e então registrar o projeto no site do GBC Brasil, assinar o contrato e pagar as taxas. Todos os créditos pertencentes a fase do projeto deverão ser enviados após o término dos projetos para revisão junto ao GBC Brasil. Haverá uma visita de verificação inicial por um auditor do GBC Brasil. Após o término da obra, a equipe deverá enviar todos os formulários e documentos finais para o processo de revisão e auditoria final. Após essa fase a somatória final de pontos indicará o nível da certificação.
Níveis de certificação: Verde: 40-49 pontos :: Prata: 50-59 pontos :: Ouro: 60-79 pontos :: Platina: mais de 80 pontos

Leia mais“Referencial GBC Brasil Casa®”

AQUA

Nome da Certificação: AQUA – Alta Qualidade Ambiental
Origem: Brasil – adaptada do HQE francês
Certificadora: Fundação Vanzolini
Tipos de empreendimentos: Edifícios residenciais, comerciais, administrativos e/ou de serviços cujos setores de atividade são definidos no anexo dos manuais, em construção nova e/ou em renovação.
Como obter o certificado: O interessado entrega uma ficha de solicitação acompanhada de documentos solicitados (dossiê de solicitação). A FUNDAÇÃO VANZOLINI verifica se as condições de admissibilidade foram respeitadas, redige um contrato e emite as taxas. É necessário que o empreendedor estabeleça um sistema de gestão do Empreendimento (SGE) e realize a avaliação da qualidade ambiental do edifício nas fases de pré-projeto, projeto e execução do empreendimento.
Níveis de certificação: AQUA Passa :: Bom :: Muito Bom :: Excelente :: Excepcional

Leia mais“AQUA”

.Certificações Ambientais de Edificações

Ser sustentável é cuidar do mundo para as futuras gerações. É lembrar que o mundo é de todos. É pensar que tudo que fazemos tem um impactos positivo ou negativo no ambiente e nas pessoas que nos cercam.

A construção civil é um setor que muito impacta nos três aspectos da sustentabilidade: ambiental, econômico e social.

Entidades preocupadas em controlar esses impactos criaram certificações de empreendimentos. Nos próximos artigos falo sobre algumas dessas certificações e as organizações que as criou. O primeiro selo de certificação abordado será o AQUA.

——————————–
Por Mônica Fischer
Arquiteta e Paisagista
Pós graduada em Construções Sustentáveis
Consultora GBC Brasil®
Técnica em edificações
adm@arquilog.com.br
(21) 99159-7817

Download: Qualidade e sustentabilidade do ambiente construído: legislação, gestão pública e projetos

A Edições Câmara lançou o livro Qualidade e Sustentabilidade do Ambiente Construído: Legislação, Gestão Pública e Projetos. A publicação é organizada por Fabiano José Arcadio Sobreira, Roseli Senna Ganem e Suely Mara Vaz Guimarães de Araújo e reúne artigos agrupados em dois grandes temas: (1) Legislação Urbana e Ambiental e (2) Qualidade da Arquitetura e dos Espaços Públicos, com enfoque nos concursos de projeto.

Artigo :: Procel Info :: Prédios projetados em meados do século XX garantiam economia de energia

folhaTrecho do artigo publicado no site do Procel Info em 14/04/2014 com o título “Prédios projetados em meados do século XX garantiam economia de energia”:

“Áreas centrais que muitas vezes guardam pedaços importantes de nossa história, como os centros do Rio e de São Luiz, no Maranhão, passaram por um processo de abandono que afastou a população desses locais. A melhor cidade é a que tem misto de usos em todos os bairros.”

Leia completo em http://www.procelinfo.com.br/main.asp?ViewID=%7BF5EAADD6-CCB0-4E29-A0C4-482D3D66BB65%7D&params=itemID=%7B99F3596B-A8C8-41B9-A1A2-094FA40C54F3%7D;&UIPartUID=%7BD90F22DB-05D4-4644-A8F2-FAD4803C8898%7D

Artigo do site Procel Info: Eficiência Luminosa e Energética

Como esse assunto é muito interessante e urgente, publico um resumo de um excelente artigo do site Procel Info sobre Eficiência Luminosa e Energética. No fim do resumo está o link para o artigo completo.

Eficiência (ou rendimento) luminosa é um parâmetro que indica quão eficientemente uma fonte luminosa converte a energia que recebe (por exemplo, energia elétrica) em luz. Ela relaciona o fluxo luminoso (em lúmens) emitido pela fonte em relação à potência despendida para alimentá-la (normalmente medida em watts).
Alguns dos fatores que determinarão o quanto determinado ponto será iluminado são:
– o formato da lâmpada (…)
– o tipo de luminária (…)
– (…) a tecnologia utilizada na confecção das lâmpadas.

Para a iluminação doméstica e corporativa há essencialmente três tipos delas:
– a tradicional incandescente (cuja produção vai sendo gradativamente proibida mundo afora)
– as fluorescentes de geração mais moderna (compactas e as tubulares T5)
– as lâmpadas a LED

E eficiência luminosa de uma lâmpadas baseadas em LED chega a três ou quatro vezes a da lâmpada fluorescente e sua vida útil também é bem maior. (…) O custo inicial ainda é elevado mas tem caído conforme se massifica a produção

(…)Embora o retorno sobre investimento em residências não seja algo tão simples de se calcular(…), há um ganho perceptível pelo fato de que as lâmpadas a LED não provocam aquecimento do ambiente de maneira tão intensa quanto as lâmpadas incandescentes ou fluorescentes, pois o calor produzido pelo LED não está na luz emitida, mas apenas no corpo da lâmpada. E menor aquecimento do ambiente reflete-se também em maior eficiência energética.

Leia completo em http://www.procelinfo.com.br/main.asp?ViewID=%7BF5EAADD6-CCB0-4E29-A0C4-482D3D66BB65%7D&params=itemID=%7BB4C87E7B-2FC6-44A1-8615-B6F06690B8BA%7D;&UIPartUID=%7BD90F22DB-05D4-4644-A8F2-FAD4803C8898%7D

Nova usina solar nos Estados Unidos tem capacidade para abastecer 140 mil casas

usinasolarComeça a operar a maior usina solar do mundo, com 300.000 placas e investimento total de 1.6 bilhão de dólares. O empreendimento terá capacidade de gerar 392 megawatts de energia e alimentará 140 mil casas. Com isso, uma redução de 400 mil toneladas métricas nas emissões de CO2 é esperada por ano e segundo o governo americano o investimento está previsto para ser totalmente pago em 30 anos.

A usina pertence às empresas NRG Energy, BrightSource Energy e Google e está localizada em uma área de 13 km². As placas possuem 2 m de altura e 3 m de largura. A capacidade do complexo é quatro vezes maior do que a usina de Shams 1, nos Emirados Árabes, que era a maior do mundo.

Leia mais em Com 300.000 placas, começa a operar a maior usina solar do mundo | Infraestrutura Urbana.